STF deve ter coragem de anular o golpe

STF deve ter coragem de anular o golpe – já ficou demasiadamente constatado que, desde sua aceitação, pelo Eduardo Cunha, o impeachment está carregado de vícios.

De nada adianta os ministros do STF ficarem se baseando na mídia dos barões, aquela mesma que agiu como parceira e estimuladora do golpe contra a democracia.

Claro é, para boa parte da população, para muitos magistrados, que essa maioria ocasional no Congresso Nacional, que votou pelo afastamento de Dilma Rousseff, agiu conspirativamente.

 

STF deve ter coragem de anular o golpe
STF deve ter coragem de anular o golpe

STF deve ter coragem de anular o golpe

Tanto é que, não coincidentemente, os mesmos deputados e senadores que formam a base parlamentar de apoio ao presidente Temer, estão demolindo com os direitos sociais e trabalhistas.

Tal constatação é notória, quando se lê os números de deputados federais que votaram a favor do impeachment (golpe, mesmo) 367 e se compara aos que votaram a favor da PEC 241.

Os jantares de luxo, promovidos por Temer, com todos esses deputados e mais convivas, com dinheiro público, em meio à crise, no afã de aprovar um plano de governo que não foi eleito pelo povo brasileiro, é a forma mais vil de compra de apoio.

Agora, o mesmo se repete com aqueles mesmos 60 senadores que votaram favoravelmente ao impeachment, com o mesmo objetivo adjeto de fazer passar a PEC 241, ora PEC 55, com facilidade.

Cabe ao Supremo, desfazer esse erro histórico, anulando o impeachment, cujo processo já estava viciado e eivado de nulidades desde a sua aceitação, por Cunha, e posterior votação a toque de caixa na Câmara Federal.

Essa, numa demonstração total de falta de base legal, que ficou mais parecida como um circo dos horrores, do que uma sessão deliberativa de uma das Casas Legislativas brasileiras.

STF deve ter coragem de anular o golpe

O ministro Teori, chegou a declarar que não cabia naquele momento atender ao pedido dos advogados de Dilma, por entender que poderia haver uma comoção social.

Ora, o país enfrenta uma crise sem precedentes desde que a oposição, por não saber perder, pôs-se a trabalhar contra o governo eleito democraticamente e, acima de tudo, contra os brasileiros.

Não deixavam nenhuma propositura do governo passar nas casas legislativas, seja através de obstruções, seja simplesmente para que houvesse a sensação de desgoverno.

As mídias dos barões, trataram imediatamente de “manchetear” palavras nocivas ao governo federal, na figura de Dilma e seus Ministros, e alimentar a crise já fomentada pelo Congresso.

Cabe ao STF, o último bastião da Justiça, entender e proceder à anulação do impeachment pelas razões de nulidade, por conterem vícios nos relatórios (adendos inconstitucionais) e, ademais, pelo resultado em separado, onde se retira o mandado da Presidenta, e depois a julgam apta a ocupar cargos públicos, o que implica em inocência.

Cabe ao STF, aprofundar sua visão para além das manchetes dessa mídia elitista e cruel com a maioria dos brasileiros, ao apoiar abertamente o golpe, depois de longos meses massacrando o governo com ilações, mentiras e sensacionalismo barato.

Cabe ao STF, como último guardião da Lei Maior, entender que a maioria do povo brasileiro Não Elegeu esse Plano de Governo, muito menos esse presidente que golpeou pelas costas sua companheira de chapa.

...

Cabe aos excelentíssimos Ministros e Ministras, alongarem suas visões para o futuro, pois a história não perdoa omissões dessa magnitude.

Aurelio Martuscelli

Blogueiro, músico, pesquisador das relações humanas

Close